COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Como um sistema de gestão hospitalar promove a expansão dos serviços

Por Cleiton Kuhnen em 14 de maio de 2019

Equipamentos, máquinas de exames, infraestrutura física e profissionais qualificados são algumas das necessidades básicas para promover a expansão de uma instituição de saúde. Porém, para garantir o crescimento sustentável de um hospital é necessário ir além e investir em um sistema de gestão hospitalar que se adeque às necessidades de cada instituição. Mais do que um gasto ou apenas uma simples ferramenta digital, um sistema hospitalar completo e flexível é um investimento estratégico para promover a ampliação de serviços, com o menor impacto nos processos realizados e na cultura organizacional.

No Brasil, o cenário da transformação digital na saúde ainda é bastante desigual. Enquanto alguns hospitais trabalham com ferramentas para gestão e análise de dados, muitas instituições ainda utilizam prontuários físicos e documentos impressos para realização de atividades essenciais, como o agendamento e controle de estoque. Esse desequilíbrio, que não está atrelado ao porte da instituição, aponta para a necessidade urgente do investimento em sistemas que garantam a sobrevivência e o crescimento do negócio, por meio da identificação de falhas, redução de custos e outros tantos aspectos.

Na prática, um hospital que hoje é de pequeno porte e que faz uma gestão completa e crítica de dados com um sistema de gestão hospitalar completo, pode identificar oportunidades para escalar rápido no mercado. O mesmo vale, é claro, para hospitais de grande porte. Porém, as instituições que não possuem ferramentas adequadas para análise e gestão dos processos em todos os setores podem deixar passar falhas, que têm um impacto direto sobre o orçamento e a qualidade dos serviços.

Assim, muito mais do que investir em ferramentas específicas para um setor exclusivo como de estoque ou finanças, é fundamental buscar um sistema de gestão hospitalar completo que atenda às demandas da organização de ponta a ponta. A concentração de dados em um único ambiente digital, amplia as possibilidades de análise e a quantidade de dados para gestão, identificando problemas que são interligados, como os erros no cadastro dos pacientes que podem gerar glosas, que estão entre os principais fatores que afetam o crescimento de uma instituição de saúde.

Mas além de buscar um sistema de gestão hospitalar completo que atenda aos diferentes setores, é essencial que a plataforma digital utilizada seja flexível. Na prática, as ferramentas devem se moldar a cultura da instituição, atendendo demandas específicas dos profissionais, se adequando aos processos realizados e às modalidades oferecidas. Mais do que contar com  a personalização de alguns recursos, um sistema de gestão hospitalar deve se moldar completamente à realidade da instituição, sendo um instrumento estratégico para facilitar a realização das atividades dos profissionais em todos os setores.

De modo objetivo, as ferramentas utilizadas devem ser totalmente adaptáveis aos parâmetros utilizados no hospital, rotinas da instituição e até mesmo às habilidades digitais dos profissionais. Um exemplo de flexibilidade é o Prontuário Eletrônico do Paciente, o PEP. Sabemos que existem diversas especialidades de exames e que cada conselho médico tem uma recomendação ideal para a coleta e registro de dados no prontuário do paciente. Em instituições tradicionais, essas informações são registradas em papéis que podem ser arquivados, perdidos ou até mesmo alterados. Já em alguns hospitais que usam um prontuário eletrônico básico, não há a possibilidade de adequação e organização da ferramenta de acordo com o processo realizado.

Seja para uma equipe multidisciplinar, que demanda de uma grande variedade de informações do paciente, ou para atender às recomendações do prontuário médico de uma modalidade específica como a oncologia, é fundamental que o PEP viabilize e facilite a coleta customizada dos dados. Isso é proporcionado tanto pela padronização de preenchimento das informações, quanto pela sugestão de protocolos que auxiliam os profissionais no dia a dia. Se há risco de Acidente Vascular Cerebral (AVC), por exemplo, o sistema poderá sugerir uma conduta padrão a ser seguida: quais os exames deverão ser solicitados, medicações que poderão ser administradas, etc. Vale lembrar que esse recurso é um auxílio para o profissional, e ele continuará sendo o responsável pela tomada de decisões.

Assim, mais do que elaborar uma simples versão digital do prontuário do paciente, o médico pode contar com uma ferramenta avançada para o registro de dados, atendimento e realização de outros processos com maior segurança e agilidade. Nesse mesmo sentido, ainda podemos destacar outros recursos importantes do PEP para os profissionais:

– integração de todos os dados do paciente, desde a recepção, realização de exames e o atendimento final, formando um histórico completo;
– subdivisão em abas, que facilitam a visualização e organização dos dados;
– disponibilização de modelos de laudos, atestados e receitas;
– destaque de informações específicas do paciente, como alergias e doenças;
– acesso integrado das informações por todos os profissionais envolvidos no tratamento do paciente, etc.

A customização dessa e outras ferramentas disponibilizadas em um sistema de gestão hospitalar completo permite que as equipes tenham maior eficiência no cuidado e atendimento dos pacientes.



A importância de um sistema de gestão hospitalar escalável

Além de atender de modo integrado todos os processos de um hospital e de ser totalmente adaptável a cultura e realidade da instituição, um bom sistema de gestão hospitalar deve ser escalável. Esse aspecto está diretamente relacionado aos objetivos estratégicos da instituição. Uma organização que deseja ampliar os seus serviços, tanto em número de atendimentos, de modalidades oferecidas ou infraestrutura, deve buscar um sistema que acompanhe e ampare o crescimento do hospital.

Isso significa que não será necessário trocar de sistema quando o hospital atingir determinado número de leitos, e que será possível, a longo prazo, integrar outros recursos e sistemas estratégicos para a instituição, como os sistemas de gestão radiológica ou laboratorial. Esse aspecto favorece o crescimento sustentável da instituição, que pode contar com ferramentas adequadas para cada etapa na expansão dos serviços.

Com um sistema de gestão escalável, o hospital também tem a segurança de que poderá expandir os seus serviços sem impactar a cultura organizacional ou os processos realizados pelos profissionais com uma futura alteração de sistemas. Por isso, é importante contar com sistemas que acompanhem o crescimento organizacional, fornecendo recursos que apoiem os gestores e demais colaboradores na realização de suas tarefas, tanto para o atual momento da instituição quanto para daqui a 10 anos. Nesse sentido, é essencial buscar fornecedores reconhecidos no mercado e que ofereçam serviços inovadores como a Pixeon.

Outros aspectos de um sistema de gestão hospitalar que proporcionam a expansão dos serviços

Para impulsionar e acompanhar o crescimento de um hospital, seja ele de pequeno ou grande porte, um sistema de gestão hospitalar deve:

– eliminar o retrabalho dos profissionais de ponta a ponta;
– fornecer dados avançados e estratégicos para gestão;
– automatizar processos;
– proporcionar a customização das ferramentas;
– permitir a integração de recursos e outros sistemas;
– proporcionar uma visão ampla do faturamento e outros setores que têm impacto direto no orçamento do hospital;
– otimizar o trabalho em equipe, com o compartilhamento e acesso integrado dos profissionais às informações registradas no sistema, etc.

Todos esses aspectos permitem que os gestores e profissionais tenham uma maior produtividade, reduzindo custos, identificando falhas e oportunidades para expansão dos serviços. Somente com o controle e tratamento avançado dos dados hospitalares, os gestores e líderes poderão tomar decisões que conduzam às organizações ao crescimento e reconhecimento no mercado.

Se você quer saber mais detalhes sobre o sistema de gestão hospitalar da Pixeon, entre em contato conosco. Nossos sistemas atendem aos diferentes desafios e demandas das instituições hospitalares. Oferecemos soluções completas e flexíveis para cada instituição, que pode contar um sistema integrado, seguro e escalável.  
 
Recomendamos ainda a leitura dos seguintes materiais:

Acompanhe o nosso Blog e saiba mais sobre ferramentas para gestão de hospitais.

COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Comentários

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

Glossário de Radiologia: conheça os termos essenciais

Glossário de Radiologia: conheça os termos essenciais

DVR, MPR, DICOM e várias outras siglas são apenas uma amostra da variedade de expressões que fazem parte da rotina dos radiologistas. A prática radiológica envolve uma série de ferramentas, exames e processos com termos técnicos, que por vezes são […]

Vantagens da Central de Laudos para os radiologistas

Vantagens da Central de Laudos para os radiologistas

Um dos maiores desafios dos centros radiológicos é maximizar a performance dos profissionais, ampliando a produtividade e reduzindo custos. Nesse sentido, é cada vez maior a busca por soluções flexíveis e automatizadas, que permitem customizar processos e proporcionam um ambiente […]

Acompanhe a Pixeon. Leia mais notícias