COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

A importância do Business Intelligence na gestão da saúde

Por Nactacha Chaves (Pixeon) em 13 de junho de 2018

sistema de gestão hospitalar

Considerando as mudanças econômicas constantes, o volume cada vez mais crescente de informações e a pressão do mercado por decisões efetivamente produtivas e rentáveis, o Business Intelligence, ou BI, torna-se indispensável para auxiliar gestores a visualizar cenários complexos e dar diferentes significados para cada etapa da administração hospitalar.

Os sistemas de informação podem ser classificados de acordo com o conteúdo que será levado em consideração. Em Business Intelligence, a classificação geralmente acompanha a pirâmide organizacional, composta pelos níveis: operacional, gerencial (tático) e estratégico da corporação.

 

1. Operacional, o que mede os processos

 

São operações rotineiras, normalmente com um grande volume de operações de entrada e saída. Se caracterizam pela visualização mais analítica das operações rotineiras com sumarização quantitativas e/ou valoradas. Por exemplo, volume de agendamentos, tempo médio de espera do paciente na recepção.

 

2. Gerencial ou Tático, o que acompanha o funcionamento dos processos

 

Formada por operações de apoio, cria os mecanismos de gerenciamento das organizações, tal como análise de clientes, produtos ou mercado e lucro efetivo por ação.

 

3. Estratégico, o que traz  indicadores gerenciais e insights para tomadas de decisão

 

Operações estratégicas: apoia a alta diretoria filtrando as informações fundamentais e altamente importantes para a tomada de decisões. Como a análise de crescimento efetivo da instituição, ou o impacto de determinado centro de resultados na operação.

 

Pontos fortes de Business Intelligence

 

Um dos pontos mais fortes do Business Intelligence é a capacidade de fornecer informações de qualidade e preditivas. E para isso, essa ferramenta permite visualizar os mesmos dados por uma ótica diferente, gerando novas perspectivas e análises em uma instituição de saúde, como: uma visão pela ótica do atendimento, do médico, dos pacientes, convênios e uma série de outros atores distintos, cada qual trazendo um insight diferente para o negócio.

Utilizando um sistema de gestão, é possível ter dashboards – que reúnem todo Big Data da instituição – altamente visuais e que não trazem apenas informações automáticas, mas ideias de atuação. Números e estatísticas só fazem sentido quando aliados a um tratamento de dados – e é o Business Intelligence que faz isso. A inteligência de informação sumariza os dados, os sintetiza e gera informação relevante para todas as áreas de interesse no negócio, convertendo-as em tendências.

Por meio da coleta, organização, análise e compartilhamento de dados de diversos sistemas, o Business Intelligence oferece informações qualitativas que permitem decisões mais seguras e ações bem direcionadas para traçar metas e alcançar resultados. Dessa forma, a organização se mantém competitiva diante da concorrência e é capaz de visualizar novas oportunidades, deficiências e oportunidades, ampliando e otimizando sua atuação.

 

Business Intelligence: vantagens para todos

 

Business Intelligence em ferramentas para instituições de saúde nunca é estático. Os indicadores de gestão devem estar em constante evolução para que mantenham a qualidade da informação fornecida. Na Radiologia, por exemplo, é preciso que a solução adotada vá além das informações quantitativas, como tempos e quantidade de agendamentos ou produtividade médica, pois as análises preditivas para tomada de decisão devem contemplar por exemplo, dados comparativos de valores do que foi agendado e o que foi efetivado, picos de agenda e tipo de público presente nesses horários, previsão de receita e custo de cada agenda.

Com essas informações disponíveis, os gestores conseguem saber qual é o exame mais rentável, quando há exames que geralmente acontece em conjunto e quais são, além de gráficos e valores que se pode ter para alcançar uma gestão mais eficiente e auxiliar em ações em cima dos exames mais procurados.

Nas clínicas, com Business Intelligence, os gestores poderão saber, em valores, quanto de ressonância, por exemplo, está previsto para determinado dia. Uma solução intuitiva poderá fornecer de forma gráfica dados desse tipo e trazer uma grande vantagem competitiva. Afinal, será possível elaborar um plano de ação estratégico com base nas agendas, exames, horários, entre outros. As Clínicas, Radiologia e Hospitais ainda têm disponível os recursos e indicadores mais precisos para evitar glosas.

Nos Hospitais, Business Intelligence acompanha todos os setores: contas a pagar, a receber, estoque, faturamento, custo do centro cirúrgico e de centros de imagens. Ou seja, entrega nas mãos dos gestores as informações para tomada de decisões. Um dos maiores ganhos, inclusive, é ter esse acompanhamento em tempo real. Não é preciso esperar acontecer para agir. Quando se tem a visão dos impactos das glosas no faturamento e suas principais causas, é possível adotar ações que gerem retorno mais rapidamente.

 

Outras informações que podem ser fornecidas por Business Intelligence:

 

Além de informações de impacto para o faturamento, o BI também torna-se um aliado importante para que a instituição planeje suas ações baseadas no seu público-alvo.

Dados populacionais, como, faixa etária dos pacientes, sexo e horários de maior circulação, podem apoiar diversos outros setores, como atender de forma diferenciada o público feminino, promovendo ações para cuidados preventivos, por exemplo.

 

Auditoria de processos dentro do sistema

 

Mesmo que a instituição já possua processos consolidados, o Business Intelligence consegue até mesmo mapear se há gargalos na entrega de algum deles. Em outras palavras, faz uma auditoria dentro do próprio sistema e verifica itens como erros de lançamento do faturamento, números incorretos, etc. O BI esclarece esses pequenos incidentes e muitos que ficam escondidos dentro de uma rotina, mas que acabam impactando no faturamento, como furos de estoque. Não são apenas perdas financeiras, mas também a segurança do paciente que ganha um reforço a mais, como a partir de um controle mais preciso do lote de validade e medicação do paciente.

O Business Intelligence agregado a uma solução de gestão faz com que as decisões sejam apoiadas com números, trazem uma real identificação da realidade e permite ações preditivas. Quer saber mais sobre as soluções de saúde com B.I.? Deixe um comentário!

 

Descubra mais sobre as soluções da Pixeon

 

*Conteúdo atualizado. Primeira publicação em 21 de agosto de 2015.

 

call35

 

COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Comentários

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

Aplicações da inteligência artificial na radiologia

Aplicações da inteligência artificial na radiologia

Em plena e rápida expansão no mundo todo, a inteligência artificial é uma tecnologia com potenciais e funcionalidades inimagináveis. Ela irá impactar profundamente todos os setores da sociedade. Não é exagero dizer que, na área da saúde a IA deve […]

O que você deve saber sobre um sistema de gestão hospitalar

O que você deve saber sobre um sistema de gestão hospitalar

É comum que as instituições médicas estejam mais preocupadas com a aquisição de equipamentos para otimização de atendimento, procedimentos, etc. Porém, uma questão que nem sempre é levada em consideração é a necessidade primordial de um sistema de gestão hospitalar […]

A saúde do futuro está nos cuidados ao paciente

A saúde do futuro está nos cuidados ao paciente

A onda de especializações na área da medicina, como fisioterapeutas, neurologistas, cardiologistas, permite atender com mais profundidade determinados problemas e males. No entanto, o excesso de expertise acabou deixando um pouco de lado a humanização. Nesse sentido, a saúde do […]

Acompanhe a Pixeon. Leia mais notícias