COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Como a distribuição interna e externa do PACS pode auxiliar em casos de emergência e UTI

Por Pixeon em 30 de junho de 2014

distribuição interna em hospitaisNa área da saúde, o tempo é um fator determinante para que os médicos possam fazer um bom atendimento. Isso acontece principalmente em casos de emergência e UTI, nos quais o quadro de saúde do paciente pode estar bastante crítico. Em emergências, pode se fazer exames de imediato para avaliar a condição do paciente. Nesses momentos, a distribuição interna do PACS contribui muito para o fluxo de trabalho dentro da instituição.

 

A distribuição interna do PACS permite que as imagens dos exames realizados sejam compartilhadas com outros setores do hospital, facilitando o rápido acesso dos médicos: a análise é feita na tela do computador, o que permite uma visualização mais dinâmica do exame por quantos profissionais forem necessários e simultâneamente.

 

Essa prática diminui o deslocamento de profissionais dentro da instituição até as salas de laudo, além de possibilitar que as imagens sejam analisadas em qualquer ponto da instituição enquanto o paciente ainda está na sala de exame, podendo ser requisitadas pelos médicos incidências ou sequências adicionais para complementar o exame. Com isso otimiza-se o tempo de espera do paciente para que se inicie o tratamento mais indicado o mais rápido possível.

 

Um exemplo prático seria um hospital com vários andares, onde a UTI Neonatal fica no 9º andar e o setor de imagem fica no subsolo, e um paciente grave realiza um exame para análise do pediatra e do radiologista. Com a distribuição interna, assim que o exame é finalizado tanto o radiologista quanto o pediatra conseguem visualizar o exame em seus respectivos computadores e por telefone discutir o caso, e se necessário solicitar mais incidências ou sequências de imagens. De acordo com o diagnóstico acordado entre os médicos, já pode ser dada a sequência do atendimento, seja cirurgia, internação, etc.

 

Importante ressaltar que com a distribuição pelo PACS, os médicos têm disponíveis ferramentas de manipulação da imagem, que garantem maior acurácia no momento de avaliação do exame.

 

Até mesmo fora da instituição é possível trabalhar com a distribuição externa do PACS. Em casos de emergência, o médico solicitante pode requisitar os exames para o radiologista, para que ele possa laudar a distância. Pode ser comum também residentes ou plantonistas solicitarem apoio ao radiologista que está fora da instituição, em casos clínicos difíceis. O radiologista, mesmo fora da instituição, terá à disposição as mesmas ferramentas de manipulação de imagens, para uma melhor avaliação do exame.

 

Para um uso mais eficiente da distribuição interna do PACS, é indicado fazer a integração com o sistema de gestão da instituição (RIS/HIS). Nesse contexto, o usuário utiliza a interface do sistema de gestão, abrindo o visualizador a partir do RIS/HIS, não sendo necessário abrir um segundo aplicativo. Desta forma, a distribuição interna traz mais agilidade para o fluxo de trabalho dos médicos, enfermeiros, profissionais auxiliares e para o atendimento do paciente. Entretanto, deve ser lembrado ainda que não é obrigatório que a integração seja feita, ou seja, basta ter um computador com o visualizador instalado. A integração facilita o acesso, mas não o bloqueia.

 

Tem dúvidas sobre esse assunto? Deixe nos comentários abaixo.

 

Conheça também:

 

tecnologia para radiologia

COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Comentários

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

O que você deve saber sobre um sistema de gestão hospitalar

O que você deve saber sobre um sistema de gestão hospitalar

É comum que as instituições médicas estejam mais preocupadas com a aquisição de equipamentos para otimização de atendimento, procedimentos, etc. Porém, uma questão que nem sempre é levada em consideração é a necessidade primordial de um sistema de gestão hospitalar […]

A saúde do futuro está nos cuidados ao paciente

A saúde do futuro está nos cuidados ao paciente

A onda de especializações na área da medicina, como fisioterapeutas, neurologistas, cardiologistas, permite atender com mais profundidade determinados problemas e males. No entanto, o excesso de expertise acabou deixando um pouco de lado a humanização. Nesse sentido, a saúde do […]

Acompanhe a Pixeon. Leia mais notícias