COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Boas práticas de laboratório: quais as tendências do mercado?

Por Tadeu Reche Teruel Junior (Pixeon) em 6 de fevereiro de 2018

boas práticas de laboratório

 

Neste artigo, iremos tratar das boas práticas de laboratório que garantem o melhor andamento dos processos. Para isso, o primeiro conceito-chave que se deve estar atento é que a saúde é vista por dois olhares, o da instituição e o do paciente. Quando ocorre uma sincronia entre eles, é sinal de que os processos estão no caminho certo. A questão que deve ser levantada é: como garantir a satisfação de todos na prática?

 

Uma das respostas da pergunta acima é “superando as expectativas que as pessoas têm em relação ao atendimento”. O que envolve desde a marcação até a entrega do resultado do exame. Hoje, os pacientes procuram por qualidade, segurança e a maior praticidade possível na utilização dos serviços do laboratório. Por isso, a instituição deve se tornar uma facilitadora.

 

Ser um facilitador é o princípio das boas práticas de laboratório, como veremos na sequência. Existe uma série de recursos que permitem alcançar toda agilidade e manter a qualidade. Desde ações realizadas por meio de tecnologias até a capacitação dos colaboradores de acordo com normas e certificações. No entanto, no final, o que irá prevalecer é a capacidade de facilitar para o paciente.

 

Boas práticas de laboratório: como viabilizar essas dicas na prática?

 

1. Mobilidade e praticidade no auto agendamento

 

Entre as tecnologias que envolvem as boas práticas de laboratório, e que merece destaque, está a possibilidade do auto agendamento. É quando a instituição oferece ao paciente a autonomia de fazer a marcação de um exame de qualquer lugar e por diferentes meios. A pessoa pode simplesmente acessar ao celular em casa e deixar agendado seu horário. Rápido e simples.

 

O mobile, seja smartphone, tablet e outros devices, é o futuro da área da saúde. Numa propaganda publicitária norte-americana, um adolescente é apresentado usando tecnologia mobile em diversas situações: respondendo aos amigos, tirando fotos, marcando encontros, pesquisando sobre vários assuntos. Nisso, a vizinha diz algo como:  “o que você está fazendo no seu computador?”. A resposta final: “o que é computador?”. Essa é uma realidade para qual também os laboratórios precisam estar preparados.

 

Existem ainda pessoas que estão vivendo a transformação de um mundo que converge on e offline e, por isso, precisam de opções tradicionais. Mas, logo, tudo será apenas um só. Por esse motivo, as boas práticas de laboratório envolvem bastante o uso mobile e a independência do paciente. O auto agendamento permite não só marcar exames, mas visualizar resultados, receber mensagens de aviso de que o exame está disponível e até a confirmação do seu próprio comparecimento.

 

Os laboratórios poderão receber as informações online, sem precisar deslocar um profissional para fazer ligações e outras atividades operacionais. O que permite um foco maior da equipe no core business.

 

2. Sem senhas e mais sustentabilidade no laboratório

 

Mesmo não sendo comum encontrar aplicações tão disruptivas, deve-se pensar na inovação quando as boas práticas em laboratório pretendem ser aplicadas. Um exemplo é um “drive tour de exames”. A pessoa fica no carro enquanto espera pelos resultados e ainda poderia realizar a própria coleta ali. Sem senhas, sem espera da coleta. É uma visão tecnológica, mas também mais facilitadora.

 

Outra ação que contribui bastante com a intenção de se tornar um facilitador é realizar o interfaceamento de equipamentos. Nesse caso, é algo que já tem tido adesão nos laboratórios. O interfaceamento permite que as máquinas se comuniquem, não é preciso imprimir papéis ou digitar manualmente informações. O atendimento é agilizado e torna o ambiente perto do paperless, minimizando custos e aumentando a segurança na liberação de resultados.

 

3. Webservices, segurança e menos glosa

 

As boas práticas de laboratório, como falamos, estão focadas em agilizar os processos para ambos participantes: pessoas e instituição. Os webservices de autorizadoras fazem com que não seja necessário entrar no site, realizar várias ações lá dentro e deixar o paciente esperando mais tempo do que necessário na recepção. Com isso, bastará apenas um pedido, pois o convênio estará integrado na solução tecnológica da recepção.

 

Os tokens, muito populares em determinados bancos, são outra forma de agilizar o preenchimento de informações. O paciente recebe seu token, a operadora envia um SMS, e a pessoa informa na recepção. Webservices e tokens trazem segurança e diminuem o número de fraudes e evitam glosas.

 

4. Cloud é uma das boas práticas de laboratório

 

O uso de cloud não se restringe a nenhum segmento e deve fazer parte das boas práticas de laboratório e outros serviços de saúde. O Cloud permite que ao escalar, não seja necessário investir em um data center, equipamentos, etc. Consequentemente, não haverá um aumento físico da estrutura.

 

Um ponto relevante é que o Cloud permite o acesso em qualquer local. A mobilidade aparecendo de novo. É ainda seguro, pois as soluções permitem criar níveis e controle de acesso das informações.

 

5. Certificação das boas práticas de laboratório

 

O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO) fornece diretrizes para o Programa de Reconhecimento da Conformidade aos Princípios das Boas Práticas de Laboratório (BPL). As instituições são estudadas e monitoradas, passando por avaliações, inclusive, sobre o uso da Certificação Digital. O Pleres, solução Pixeon, disponibiliza gratuitamente a ferramenta.

 

Há também o Programa de Acreditação de Laboratórios Clínicos (PALC), fornecido pela Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial. São itens que incluem a excelência na execução dos exames, equipamentos, capacitação da equipe, etc.

 

As boas práticas de laboratório evoluem conforme as demandas dos pacientes e de como o mercado está atendendo. O que implica, inclusive, nas facilidades e funcionalidades das tecnologias especializadas. Você tem alguma outra dica? Compartilhe sua visão sobre o tema em nossos comentários abaixo!

 

gestão-laboratorial

COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Comentários

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

Soluções de TI para saúde: a importância do suporte avançado

Soluções de TI para saúde: a importância do suporte avançado

Um dos desafios para a gestão das clínicas é contar com apoiadores e fornecedores que realmente impulsionam o crescimento das organizações, com tecnologias e soluções inovadoras. Para se destacar no setor de saúde, ampliar a vantagem competitiva, aperfeiçoar o atendimento […]

Acompanhe a Pixeon. Leia mais notícias