COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Digital First na saúde: como adaptar o atendimento para o paciente?

Por Equipe Pixeon em 26 de abril de 2022

digital first, Digital First na saúde: como adaptar o atendimento para o paciente?

Digital first é uma abordagem que está ganhando relevância em diversos segmentos, inclusive na saúde, como estratégia para atrair e fidelizar clientes. Segundo o Relatório de Tendências da Experiência do Cliente 2021, da Zendesk, 75% dos consumidores estão mais interessados em adquirir produtos e serviços de organizações que proporcionam uma boa experiência do cliente, o que está relacionado, em grande medida, à oferta de uma jornada on-line

Na saúde não é diferente, por isso, hospitais e outras instituições estão investindo na transformação digital para atender seus pacientes com mais eficiência e atenção, através, por exemplo, da telemedicina.

Neste artigo, entenda a importância do digital first para a adaptação dos hospitais às novas demandas dos pacientes. Acompanhe!

 

Digital first na saúde: sua instituição mais próxima do paciente

Com o desenvolvimento da tecnologia, a expansão da internet e a popularização de dispositivos móveis — e o consequente aumento do uso de aplicativos de mensagens —, os clientes começaram a mudar seus comportamentos. Durante a pandemia, 64% das pessoas afirmaram estar usando novos canais de comunicação. Somente a troca de mensagens via apps cresceu 110%  em 2021.

Assim, para se manterem competitivas no mercado, as organizações estão atendendo os clientes onde eles estão. Em 2021, 40% adicionaram um novo canal, com destaque para mensagens, publicações em mídias sociais, bate-papo ou videoconferência, e-mail e chat na web. Priorizar o uso de serviços digitais é o que chamamos de digital first, uma cultura inovadora que está ganhando espaço nas instituições de saúde.

 

O impacto do digital first no atendimento ao paciente

Na saúde, o objetivo do digital first é tornar a jornada do paciente digital e facilitar o acesso, aumentar a qualidade e a eficiência do atendimento médico, desde o agendamento até a entrega de exames. Isso significa, portanto, oferecer modalidades da telemedicina, como a teleconsulta, o que resulta numa melhor experiência ao paciente, redução de custos, aumento da produtividade e maior alcance para a instituição.

Conheça os principais desafios e oportunidades das consultas à distância  >> Pesquisa teleconsulta: a transformação no atendimento médico.

Digital First na saúde: como adaptar o atendimento para o paciente?

 

Teledermatologia: redução do tempo de espera de 12 meses para uma semana

Em uma parceria com a Prefeitura de São Paulo, o Hospital Israelita Albert Einstein implementou um projeto de teledermatologia, no qual o médico generalista pode enviar, via aplicativo, imagens da pele do paciente para um médico dermatologista, que então emite um laudo. Esse processo, que antes demorava 12 meses, passou a levar apenas 1 semana.

Antes do projeto, 42% dos médicos declararam estar pouco confiantes quanto à teledermatologia. Após a finalização da iniciativa — que atendeu 65 mil pacientes — 17% confiavam e 83% confiavam muito na tecnologia.

Entenda mais sobre o projeto e a Era da Telemedicina >> [Pixeon Digital Health] Cuidado à distância: a era da telemedicina

 

Transformação digital na saúde: tecnologias para uma telemedicina confiável

Com a transformação digital na saúde, as instituições estão investindo na telemedicina para melhorar seus atendimentos, diagnósticos e tratamentos e, com isso, se diferenciarem no mercado. 

A telemedicina, portanto, não afasta, mas sim expande as possibilidades e permite que os pacientes usufruam de serviços de saúde que antes não podiam devido a dificuldades de deslocamento ou de acesso a certas especialidades.

Além disso, atender um paciente de forma remota permite que o médico mantenha a conexão com seu paciente e saiba quando deve encaminhá-lo para uma consulta presencial. O médico de família, por exemplo, pode ser auxiliado à distância por um especialista ou iniciar o tratamento de pacientes de baixa complexidade. 

Veja como o setor de saúde está se tornando mais inovador e digital >> Transformação digital para saúde: automação de processos e gestão digital para hospitais.

digital first, Digital First na saúde: como adaptar o atendimento para o paciente?

 

Como oferecer uma telemedicina eficiente e segura?

A transformação digital requer a implantação de tecnologias, mas apenas isso não é suficiente para que seu hospital possa oferecer a telemedicina com eficiência e segurança. O primeiro passo é justamente pensar no seu paciente e investir em automação para ter mais agilidade no atendimento e ganhar economia de escala. 

Mas a telemedicina também diz respeito a recepção e entrega de exames e laudos. Por isso, todos os processos precisam ser digitalizados. Portanto, dedique-se a:

  • Implantar boas ferramentas: soluções e sistemas de gestão para transformar a jornada do seu paciente numa experiência digital: plataformas para agendamento on-line — que inclua recurso para envio seguro de documentos —, videoconferência, Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP), pressão eletrônica e entrega de exames on-line. 
  • Eliminar o uso de papel: para ganhar eficiência operacional e implantar a cultura digital first, é imprescindível acabar com o uso de papel. Essa medida reduz o impacto ao meio ambiente e irá ajudar sua organização a reduzir custos e otimizar a gestão e o atendimento ao paciente, já que todas as informações passam a transitar em formato digital.

Saiba como reduzir custos com a eliminação do papel e a digitalização dos seus processos. Baixe o material “Paperless na saúde: tecnologias para eliminar o papel” e confira!

Digital First na saúde: como adaptar o atendimento para o paciente?

COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.