COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Gestão de ficha anestésica: otimização de procedimentos e redução de riscos

Por Diogenes Silva, CEO Anestech em 28 de agosto de 2018

gestão de ficha anestésicaO registro de anestesia é o prontuário de paciente mais completo de um hospital, com dados fisiológicos e farmacológicos informados minuto a minuto pelo médico anestesista durante um procedimento cirúrgico. Uma das funções desse profissional é anotar os dados que são monitorados antes, durante e após a cirurgia – chamado momento perioperatório – , indicando o estado de saúde do paciente. A gestão de ficha anestésica com ferramentas digitais permite ampliar a segurança e obter dados para tomada de decisões estratégicas nas organizações de saúde.

Em 1894, quando teve início o registro anestésico, o documento era composto por apenas 3 referências sobre os sinais vitais: pressão máxima ou sistólica, frequência cardíaca e temperatura dos pacientes. Esses dados eram tomados e anotados manualmente em folhas e fichas de anestesia. A partir de 1970, com o desenvolvimento e difusão de novas tecnologias a partir da popularização de microchips, como o cardioscópio e o oxímetro, ampliou-se drasticamente o volume das informações captadas dos pacientes. Esse novo cenário passou a exigir ainda trabalho dos profissionais que continuaram a compilar esses dados de forma manual.

Atualmente, foram introduzidos ainda mais equipamentos para monitoramento dos pacientes, como índice bispectral para monitorização da atividade cerebral e monitores de pressão venosa central e débito cardíaco. Quanto maior o nível de monitorização, melhor o acompanhamento do anestesiologista à fisiologia do paciente cirúrgico e, em teoria, maior a segurança do procedimento. Por outro lado, aumenta também a pressão ao profissional anestesista no mesmo espaço de tempo para computar todo esse universo de dados no registro anestésico e, ainda, dividir sua atenção com o mapa do stress cirúrgico.  

O documento anestésico é tão completo, que pode-se extrair dele mais de 50 indicadores econômicos das fichas anestésicas, que são importantes para outros núcleos das instituições como gestão, qualidade, CCIH entre outros. O conjunto de registros anestésicos pode nos fornecer além de dados clínicos e assistenciais como:

  • sinais vitais;
  • eventos adversos;
  • consumo de gases;
  • fármacos e drogas;
  • uso de equipamentos durante o processo cirúrgico;
  • posição cirúrgica;
  • índice bispectral, etc.


Contudo, com a baixa adesão à digitalização nas instituições de saúde, tais aspectos acabam se perdendo em folhas e fichas manuais que são arquivadas sem nenhum tipo de análise e avaliação mais criteriosa. Mesmo com a utilização de vários instrumentos eletrônicos nos hospitais, o registro de anestesia ainda permanece manual em muitas organizações, acarretando em:

– problemas de legibilidade;

– falta de controle e avaliação dos dados;

– falhas na gestão para tomada de decisão;

– desproteção legal de profissionais e instituições.

Neste artigo vamos indicar como as instituições de saúde podem realizar de maneira facilitada o registro de anestesia de forma digital e extrair dados relevantes para administração e definição de soluções com mais segurança.

Vantagens de realizar a gestão de ficha anestésica

O controle dos diferentes tipos de dados e documentos é essencial para administração e qualificação do atendimento aos pacientes. Com informações específicas é possível avaliar resultados e estabelecer estratégias a partir de bases mais consistentes. Para otimizar a análise desses elementos e ampliar o alcance de resultados é fundamental adotar softwares que possibilitem obter, armazenar e avaliar os dados com segurança e em tempo real.

Na gestão de ficha anestésica, por exemplo, torna-se impraticável examinar manualmente todos os registros gerados em um dia inteiro pelos anestesistas – quanto mais em uma semana ou um mês. Fora a falta de tempo de organizar os dados em tabelas específicas, a comparação manual pode acarretar em erros e na perda de informações, uma vez que a análise isolada de dados não é capaz de gerar conhecimento. Não por acaso, esses são alguns dos motivos que levam muitos gestores a não utilizar os registros anestésicos.

Contudo, como mencionado anteriormente, a ficha de anestesia é o registro mais completo de um hospital, podendo revelar falhas e pontos para aprimoramento de um dos melhores centros de rendimento da instituição que é o centro cirúrgico. Com o uso de softwares e aplicativos específicos de gestão de ficha anestésica os gestores podem extrair relatórios em tempo real de forma simples e facilitada.

Para os anestesistas, o registro digital reduz os riscos de erros na dosagem ou tipo de medicamentos, por exemplo, uma vez que as referências ficam mais legíveis e evidentes em dispositivos móveis, como os tablets. Outra vantagem é a redução do tempo necessário para o registro do procedimento que pode chegar a 40% do tempo de um procedimento cirúrgico. Com um registro facilitado, o anestesista perde menos tempo preenchendo papéis e fica mais tempo cuidando do paciente.

Além da proteção adicional aos pacientes e médicos anestesistas, a gestão de ficha anestésica digital permite avaliar diferentes aspectos sobre os procedimentos cirúrgicos. Um exemplo é a análise dos horários de realização das cirurgias em comparação aos horários pré-marcados, pela qual é possível identificar a frequência de atrasos e falhas recorrentes que diminuem a produtividade e afetam a realização de outros procedimentos médicos.

Com a emissão de relatórios eletrônicos dos procedimentos operatórios, com informações em tempo real, é possível mensurar:

  • desempenho e qualidade dos procedimentos;
  • desfecho das cirurgias previstos e alterados;
  • rastreabilidade de drogas de alto custo e OPMEs;
  • segurança do paciente;
  • frequência de eventos adversos;
  • tempos cirúrgicos e de permanência em sala;
  • absenteísmo cirúrgico e anestésico;
  • tempo de turnover de sala (tempo de sala cirúrgica vazia entre uma cirurgia e outra);
  • taxa de start operacional (salas cirúrgicas iniciando na primeira meia-hora do dia);
  • cirurgias realizadas com e sem avaliação pré-anestésica e o impacto na segurança do paciente e desempenho operacional do centro cirúrgico;
  • taxa de ocupação em dias de semana e finais de semana;
  • tempo de recuperação e rotatividade de sala de recuperação pós-anestésica, entre outros.

Outro aspecto importante no registro e gestão de ficha anestésica é a ampliação da segurança jurídica às organizações de saúde. Com os documentos digitais, os riscos de má interpretação ou dúvidas relacionados a anotações manuais em possíveis processos judiciais são minimizados – além de diminuir os erros médicos.

De fato, a gestão de ficha anestésica por tablets e dispositivos móveis representa um grande avanço rumo à digitalização e qualificação das instituições de saúde, ampliando a segurança dos anestesistas, médicos e pacientes.

Como a sua instituição realiza o registro de anestesia? Envie seus comentários e compartilhe o artigo em suas redes sociais. Acesse também o artigo Como alcançar produtividade e redução de custos em laudo de exame?.

Sobre:

Diogenes Silva é anestesiologista e CEO da Anestech Innovation Rising, startup que atua com soluções para o controle e registro perioperatório. Na Anestech, desenvolve soluções de gestão de dados anestésicos.

soluções hospitalares

COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Comentários

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

Como ganhar produtividade no fluxo de laudos radiológicos?

Como ganhar produtividade no fluxo de laudos radiológicos?

Com a crescente digitalização e modernização dos equipamentos de imagem, a demanda por laudos radiológicos tem se tornado cada vez maior em hospitais, clínicas e laboratórios. Para atender essa quantidade de pedidos, é fundamental ampliar a produtividade dos colaboradores envolvidos […]

Pixeon anuncia novo CEO

Pixeon anuncia novo CEO

Armando Buchina assume o cargo no lugar de Roberto Ribeiro da Cruz, que passa a ser presidente do conselho de administração.    Após anunciar um investimento adicional de R$ 83 milhões em seu portfólio de produtos nos próximos 5 anos, […]

Acompanhe a Pixeon. Leia mais notícias