COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

O que é telelaudo e quais suas vantagens para a radiologia

Por Equipe Pixeon em 28 de abril de 2022

telelaudo, O que é telelaudo e quais suas vantagens para a radiologia

Lidar com um grande volume de exames todos os dias faz parte da rotina dos Centros de Diagnóstico de Imagem (CDIs). No entanto, é possível otimizar a gestão do setor com uso de tecnologias, inclusive no momento de laudar. O telelaudo é uma modalidade já adotada por muitas instituições que não querem depender apenas de radiologistas locais para atender a suas demandas.

Regulamentado pela Resolução CFM N° 2.107/2014, o telelaudo é uma das inovações mais emergentes da medicina diagnóstica, e proporciona benefícios importantes, como agilidade e redução de custos.

Neste artigo, entenda melhor o telelaudo, como funciona na prática e suas principais vantagens. Acompanhe!

Facilite o acesso dos seus radiologistas a conhecimento confiável e aumente a assertividade dos seus diagnósticos! Conheça a Biblioteca Virtual de Radiologia integrada ao PACS.

telelaudo, O que é telelaudo e quais suas vantagens para a radiologia

 

O que é telelaudo

O telelaudo faz parte do conjunto de serviços da telerradiologia. Esse conceito, segundo a Resolução CFM N° 2.107/2014, refere-se ao “exercício da Medicina, onde o fator crítico é a distância […]“.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) também esclarece que tecnologias de informações e de comunicação devem ser usadas para enviar os dados e as imagens com o objetivo de emitir laudos, como suporte às atividades desenvolvidas presencialmente.

As instituições que desejam implantar a telerradiologia devem, ainda, dispor de uma infraestrutura apropriada e em conformidade com as normas técnicas e éticas do CFM, relacionadas a armazenamento, manuseio, compartilhamento, confidencialidade, privacidade e garantia do sigilo profissional.

Confira outras regras estabelecidas pela Resolução:

  • O médico solicitante deve enviar, para o profissional responsável pelo laudo à distância, os dados clínicos necessários do paciente;
  • O paciente deve autorizar o compartilhamento das imagens e dos seus dados;
  • Radiologia Geral e Especializada, Tomografia Geral e Especializada, Ressonância Magnética, Mamografia, Densitometria Óssea e Medicina Nuclear são as áreas abrangidas pela telerradiologia.

Leia também > Código de Ética Médica: cuidados essenciais na atuação digital

 

Atenção quanto à LGPD

É preciso também estar em compliance com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais) quanto ao tratamento de dados pessoais. A norma exige garantia de armazenamento seguro das informações, assim como a aplicação de métodos de proteção, como a criptografia, para evitar vazamentos ou perdas de dados.

A Resolução CFM N° 2.107/2014 também traz regras de segurança e privacidade. Os sistemas digitais utilizados para transmissão e manuseios das informações — imagens, laudos e dados pessoais dos pacientes — devem estar em consonância com o “Nível de Garantia de Segurança 2 (NGS2)”, conforme o Manual de Certificação para Sistemas de Registro Eletrônico em Saúde vigente. 

Garanta a conformidade com a LGPD. Confira recomendações de segurança e compliance.

O que é telelaudo e quais suas vantagens para a radiologia

 

Como funciona o telelaudo

O telelaudo é baseado no diagnóstico realizado à distância por médicos radiologistas externos. Instituições que contam com mais de uma unidade também usam essa modalidade, centralizando uma equipe de radiologistas em único lugar. 

Esses profissionais externos atuam por meio de uma Central de Laudos — uma solução, armazenada na nuvem, para a gestão e transmissão de imagens e laudos. Por isso, as análises podem ser feitas em qualquer horário e de qualquer lugar.

Na prática o telelaudo funciona da seguinte maneira:

  1. Realização do exame: com apoio de médicos ou enfermeiros, o paciente é submetido ao exame;
  2. Transmissão das informações: o profissional responsável pela realização do exame envia as imagens capturadas e os dados necessários do paciente para a Central de Laudos utilizada pela instituição. Os arquivos podem ser salvos em formato DICOM, JPEG, PDF, entre outros;
  3. Emissão do laudo: em poucos minutos os radiologistas externos acessam as informações na Central de Laudos, emitem o telelaudo — com assinatura médica digital inclusa — e o devolvem para o médico solicitante;
  4. Acesso ao telelaudo: o profissional solicitante acessa o laudo — sem necessidade de imprimi-lo —  e então pode apresentá-lo ao seu paciente.

 

Vantagens do telelaudo

A transformação digital está revolucionando a saúde no Brasil, e o telelaudo é mais uma inovação que pode contribuir para a universalização do acesso a serviços de saúde. Além disso, essa prática beneficia instituições e profissionais, tornando os processos mais ágeis, seguros e eficientes.

Veja as principais vantagens do telelaudo:

  • Mais assertividade nos laudos: as instituições podem contar com radiologistas especializados e focados em apenas emitir laudos, o que eleva a assertividade;
  • Informações em tempo real: assim que inseridas no sistema, todas as informações de um exame são compartilhadas automaticamente;
  • Radiologistas 24/7: as instituições podem contar com profissionais 24 horas por dia, todos os dias da semana;
  • Redução de custos: não há necessidade de ter uma equipe de radiologistas em tempo integral, por isso os custos reduzem com o telelaudo, já que são profissionais externos e o pagamento é feio de acordo com a demanda atendida;
  • Agilidade na entrega de laudos: o telelaudo otimiza o tempo e o trabalho dos profissionais, por isso os laudos são entregues rapidamente.

Otimize a emissão de laudos através da automação do CDI! Saiba as vantagens dessa tecnologia. Baixe agora mesmo!

O que é telelaudo e quais suas vantagens para a radiologia

COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Comentários