COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Diagnóstico por imagem: 5 recursos para otimizar o trabalho do radiologista

Por Amanda Sebastião em 9 de março de 2021

Um dos maiores desafios para os radiologistas em instituições de diagnóstico por imagem é realizar o laudo de exames em tempo hábil e com segurança. Exames complexos exigem maior atenção e consultas a materiais externos, que consomem tempo dos médicos radiologistas.

Por isso, é essencial que a instituição invista em tecnologias que tornem esse processo mais rápido e fácil. Elencamos aqui os recursos indispensáveis para alcançar esse resultado, além de um bom PACS. Confira!

diagnostico_por_imagem_

5 recursos indispensáveis para diagnóstico por imagem

1. Central de laudos radiológicos

A central de laudos radiológicos é um conjunto de ferramentas digitais que auxiliam os radiologistas na emissão dos laudos com o máximo de eficiência.

Possui inúmeros recursos, como:

  • acesso a laudos anteriores e documentos digitalizados do paciente;
  • acesso às imagens do PACS;
  • possibilidade de solicitar de modo automatizado uma segunda opinião de outro radiologista;
  • organização das filas de trabalho, entre outros.

Os recursos otimizam o trabalho do radiologista na medida em que permitem ampliar o controle de dados. A proposta é a gestão e a identificação de falhas que possam impactar a entrega de resultados para os pacientes.

Dessa forma, a central de laudos é um importante instrumento para aperfeiçoar a qualidade do atendimento médico e o reconhecimento da instituição, uma vez que proporciona uma melhor experiência para os pacientes desde o agendamento até o acesso aos resultados dos exames.

2. Biblioteca virtual de radiologia

Para que as clínicas de diagnóstico por imagem aproveitem todos os benefícios das inovações tecnológicas, é fundamental eliminar metodologias e procedimentos obsoletos, como a consulta a livros e manuais impressos de radiologia.    

Para solucionar os vários desafios que envolvem a busca imediata de informações em materiais de referência para o diagnóstico de exames, a clínica pode contar com uma biblioteca virtual de radiologia.

Aliadas a outras tecnologias, como sistemas de gestão e armazenamento de exames on-line, as bibliotecas virtuais são plataformas que ampliam e universalizam o acesso ao conhecimento científico.

Com os acervos on-line, os radiologistas têm à disposição milhares de livros digitais, artigos e publicações da área da saúde, o que há alguns anos era limitado e dependia exclusivamente de livros e revistas impressas. 

Nós, da Pixeon, em parceria com a Elsevier, integramos o STATdx, ferramenta de referência mundial em radiologia, à nossa solução de PACS. Com o suporte dessa ferramenta para apoiar o radiologista na decisão clínica, o profissional tem acesso a mais de 4.300 diagnósticos, 200 mil imagens e mais de 20 mil cases facilmente pesquisáveis.                                                  

3. Inteligência artificial

Clínicas de diagnóstico por imagem também se beneficiam ao contar com recursos de inteligência artificial. É comum que em instituições que não usam esse tipo de tecnologia, o processo de marcação de vértebras nos exames, por exemplo, seja bastante demorado.

No entanto, por meio da inteligência artificial aplicada ao PACS, é possível que o sistema auxilie o radiologista a identificar a posição das vértebras nos exames de forma automática, o que torna o processo muito mais fácil e ágil, garantindo o laudo em menos tempo.

O nosso PACS da Pixeon conta com o Marcador Automático de Vértebras, que identifica e nomeia as vértebras para exames de tomografia computadorizada e ressonância magnética. Como isso é feito de forma automática, o profissional ganha agilidade tanto para concluir o laudo quanto para disponibilizá-lo o quanto antes ao paciente.

4. Download progressivo de imagens

Para garantir ainda mais eficiência para o PACS, é importante que ele permita também o download progressivo de imagens.

O recurso possibilita que o radiologista carregue e visualize as imagens aos poucos, ou seja, não é preciso esperar que todos os arquivos sejam baixados para visualizá-los, o que garante maior fluidez no processo.

Com isso, algumas funcionalidades já ficam disponíveis para uso, como fazer um MPR ou 3D, mesmo antes das imagens estarem todas carregadas. Dessa forma, a ferramenta pode reduzir em até 30% o tempo de download para visualização dos exames.

Sabemos que nem todas as instituições possuem uma rede de internet estável, por isso pensamos nesse recurso para atender quem trabalha diariamente com uma rede instável ou lenta, dando mais estabilidade ao processo e consequente autonomia ao radiologista.

5. Cálculo de volume

O sistema proporciona ao radiologista uma ferramenta para auxiliar no cálculo de volume, permitindo a obtenção de medidas exatas. Assim, o médico não precisa utilizar calculadora comum ou outros aplicativos para fazer o cálculo.

Com essa ferramenta, é possível medir o volume de elementos não esféricos, como nódulos, tumores, útero, próstata, fígado, rim etc.

Se o profissional encontrar um tumor ou um nódulo na imagem do sistema, é só selecionar as áreas de medição com a régua e o sistema faz o cálculo do volume automaticamente, garantindo a identificação de possíveis patologias no paciente.

Entenda melhor no artigo: Como a calculadora para radiologistas no PACS aumenta a produtividade.

Com esses recursos, também torna-se viável administrar diferentes demandas da instituição, desde o agendamento até o controle financeiro, integrando as várias demandas dos profissionais e gestores.
Saiba mais sobre as inovações voltadas para instituições de diagnóstico por imagem. Baixe o material a seguir e conheça todas as inovações do PACS da Pixeon, eleito por três vezes consecutivas, como melhor PACS da América Latina.

O sistema proporciona ao radiologista uma ferramenta para auxiliar no cálculo de volume, permitindo a obtenção de medidas exatas. Assim, o médico não precisa utilizar calculadora comum ou outros aplicativos para fazer o cálculo.

Com essa ferramenta, é possível medir o volume de elementos não esféricos, como nódulos, tumores, útero, próstata, fígado, rim etc.

Se o profissional encontrar um tumor ou um nódulo na imagem do sistema, é só selecionar as áreas de medição com a régua e o sistema faz o cálculo do volume automaticamente, garantindo a identificação de possíveis patologias no paciente.

Entenda melhor no artigo: Como a calculadora para radiologistas no PACS aumenta a produtividade.

Com esses recursos, também torna-se viável administrar diferentes demandas da instituição, desde o agendamento até o controle financeiro, integrando as várias demandas dos profissionais e gestores.
Saiba mais sobre as inovações voltadas para instituições de diagnóstico por imagem. Baixe o material a seguir e conheça todas as inovações do PACS da Pixeon, eleito por três vezes consecutivas, como melhor PACS da América Latina.


Sobre a autora

Amanda é formada em biomedicina e trabalha na Pixeon atualmente como arquiteta de soluções, mas também tem vasta experiência como application. Ao todo, tem mais de 10 anos de experiência na área de diagnóstico por imagem.Fora do âmbito profissional, gosta de viajar e conhecer novas culturas.

COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Comentários