COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

O que é a sistematização da assistência de enfermagem (SAE)?

Por Glória Rodrigues em 24 de julho de 2018

Sistematização da Assistência de Enfermagem

Em todas as instituições de saúde é crucial ter o controle e entender o fluxo de trabalho das equipes. Um exemplo prático de metodologia utilizada é a aplicação da Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE). Ela é organizada em cinco etapas relacionadas, interdependentes e recorrentes. Seu objetivo é a operacionalização dos processos de enfermagem no que diz respeito ao acompanhamento dos pacientes. Com a utilização desta metodologia, consegue-se analisar as informações obtidas, definir padrões e resultados decorrentes das condutas definidas. Lembrando que, quando executadas, deverão ser devidamente registradas no Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP).

Para entender melhor esse processo explicamos abaixo como funciona a metodologia.

Conheça as cinco etapas da Sistematização da Assistência de Enfermagem:

 

1. Coleta de dados de Enfermagem ou Histórico de Enfermagem

O primeiro passo para o atendimento de um paciente é a busca por informações básicas que irão definir os cuidados da equipe de enfermagem. É uma etapa na qual a coleta de dados trará maior precisão na Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE). Por isso, serão abordadas: alergias, histórico de doenças e até mesmo questões psicossociais, como, por exemplo, a religião, que pode alterar de forma contundente os cuidado do paciente. Este processo pode ser otimizado com a utilização de PEP com formulários específicos que direcionam o questionamento da enfermeira e o registro online dos dados.  

 

2. Diagnóstico de Enfermagem

Nesta etapa, se dá o processo de interpretação dos dados coletados, chegando até os diagnósticos de enfermagem. Para isso, utilizam-se bibliografias específicas que possuem a taxonomia adequada, definições e causas prováveis dos problemas levantados no histórico de enfermagem. Com isso, se faz a elaboração de um plano assistencial adequado e único para cada pessoa. Tudo que for definido deve ser registrado no Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP), revisitado e atualizado sempre que necessário.

 

3. Planejamento de Enfermagem

De acordo com a Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), a ideia é que os enfermeiros possam atuar para prevenir, controlar ou resolver os problemas de saúde.  

É aqui que se determinam os resultados esperados e quais ações de enfermagem serão necessárias. Isso será realizado com base nos dados coletados e diagnósticos de enfermagem em cima do momento de saúde do paciente e suas intervenções. São informações que, igualmente, devem ser registradas no PEP, incluindo as prescrições checadas e o registro das ações que foram executadas.


Veja 21 vantagens  de ter o prontuário eletrônico em sua instituição de saúde. Acesse o ebook! 

 

4. Implementação

A partir das informações da Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), a equipe realizará as ações ou intervenções determinadas na etapa do Planejamento de Enfermagem. São atividades que podem ir desde uma administração de medicação até auxiliar ou realizar cuidados específicos, como os de higiene pessoal do paciente, ou mensurar sinais vitais específicos e acrescentá-los no Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP).

Outro aspecto relevante é o uso do Beira-Leito. Ele permite que os dados sejam registrados assim que mensurados ou executados ainda, como diz o nome, na beira do leito do paciente. Por conta disso, amplia possibilidades do uso da tecnologia na saúde. É possível fazer coleta de dados, aferir dados vitais do paciente, checar prescrições e medicações, etc. Isso tudo e mais atividades via smartphones e tablets.

 

Você pode conhecer como o Beira-Leito é uma solução completa e o futuro da saúde.

 

5. Avaliação de Enfermagem (Evolução)

Por fim, os enfermeiros atualizarão o Prontuário Eletrônico do Paciente de forma deliberada, sistemática e contínua. Nele, deverá ser registrado a evolução do paciente para determinar se as ações ou intervenções de enfermagem alcançaram o resultado esperado. Nisto, será verificado se há necessidade de mudanças ou adaptações nas etapas do Processo de Enfermagem. Além de proporcionar informações que irão auxiliar as demais equipes multidisciplinares na tomada de decisão de condutas, como no próprio processo de alta.


Conheça mais sobre a sistematização da assistência de enfermagem (SAE) e outras soluções que a Pixeon pode fornecer à sua empresa entrando em contato com nossa equipe de especialista.

Conheça também:

gestão hospitalar

 

 

COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Comentários

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

LGPD – Integridade, Privacidade e Inovação na Saúde

LGPD – Integridade, Privacidade e Inovação na Saúde

Um milésimo de segundo faz sim toda diferença nessa área. Agilidade, Inovação, Integridade e Privacidade, precisam estar em perfeita sintonia, focados no salvar vidas, aprimorar atendimento e transformar a saúde.   O Brasil está vivendo mais um marco legal, que […]

Como a gestão de custos hospitalares impacta na tomada de decisões

Como a gestão de custos hospitalares impacta na tomada de decisões

O gestor de uma instituição de saúde precisa ter em suas mãos a gestão de custos hospitalares de forma efetiva. A gestão de custos vai apontar os principais gargalos da instituição. Mais do que isso, a gestão de custos eficiente traz o questionamento: podemos fazer mais e melhor com os recursos que temos? É importante entender que a informação de custos pode ser aplicada como ferramenta de suporte à tomada de decisão gerencial e estratégica e não meramente como forma de controle e de cortes.

Acompanhe a Pixeon. Leia mais notícias