Humanização para laboratórios: tecnologias para aprimorar o atendimento
COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Humanização nos laboratórios: como a tecnologia pode aproximar profissionais e pacientes

Por Jéssica Spada, José Roberto da Silva, Karen Sandoli Cardoso em 22 de agosto de 2019

A saúde é uma das áreas mais críticas no Brasil. Nas instituições públicas, faltam recursos e gestão para prestar um atendimento de qualidade, com processos ágeis e tecnologias para tornar os processos mais seguros e eficientes. Tais fatores também influenciam diretamente a percepção dos pacientes nas unidades privadas, que devem investir cada vez mais na humanização nos laboratórios, hospitais e clínicas.

A falta de humanização pode ser considerada como uma das falhas mais graves para o setor. O paciente espera que, ao chegar em um serviço de saúde, seja tratado com cuidado e atenção, de modo rápido, seguro, com praticidade e comodidade. Algumas medidas, podem contribuir para aperfeiçoar essa realidade, tornando os serviços de saúde mais humanizados. Veja quais são!

Os efeitos da falta de humanização na sociedade

Dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) revelam que são abertas 70 ações por dia no Brasil, por erros das equipes médicas. Em 2017, 26 mil ações foram registradas em todo país. A falta de humanização no atendimento dão espaço para falhas e descuidos com o paciente, desde a entrada nas unidades, até a troca de resultados ou a perda de documentos essenciais em clínicas, laboratórios e unidades hospitalares. Tais atitudes ferem as condições físicas e psicológicas dos pacientes.

Para evitar as falhas nos resultados e problemas no acolhimento, é essencial investir em novas tecnologias e na capacitação profissional. Esses fatores devem caminhar juntos para tornar o atendimento humanizado e mais próximo do paciente.

Uma instituição que pratica o atendimento humanizado, conquista a fidelidade do seu público. A divulgação “boca a boca”, ou marketing gratuito, passa a ser uma prática entre os pacientes. 

Confira a seguir algumas medidas que podem ser adotadas para proporcionar a humanização nos laboratórios e outros serviços de saúde.

Humanização nos laboratórios: 7 medidas para tornar o atendimento mais próximo do paciente

Quando um paciente procura um serviço de saúde, público ou privado, busca mais do que um atendimento médico ou a realização de exames. O paciente busca acolhimento, compreensão e uma comunicação empática, com objetivo de ter seu problema identificado e resolvido de forma humanizada. 

Muitas instituições já identificaram essa carência e começaram a investir em formas de atender seus pacientes, que ajudem a interpretar a necessidade de cada indivíduo. Como resultado, podem desenvolver novas formas de tornar o atendimento mais próximo do paciente e eficiente para o laboratório. 

1. Coleta domiciliar

A coleta domiciliar proporciona maior comodidade aos pacientes que possuem necessidades especiais ou impossibilidade de locomoção. A mesma opção também pode ser usada em casos de nova coleta para confirmação de resultados, sem a necessidade do paciente retornar a unidade de origem, aproximando a instituição do seu paciente.

2. Recepção digital

Podemos dizer que a humanização nos laboratórios se inicia logo na chegada dos pacientes, desde o simples “Bom Dia”, até nas orientações de retirada de senha ou no próprio estacionamento. O tom do Bom Dia pode ser interpretado de diversas formas, pois cada indivíduo vai receber o cumprimento de acordo com seu estado de espírito. Essa percepção e sensibilidade deve ser aprimorada pelos profissionais que atendem os pacientes em cada etapa dos acolhimento e recepção.

Com o uso do aplicativo Recepção Digital, os cadastros e autorizações de exames, são antecipados pelos dispositivos móveis, otimizando o atendimento. Contudo, é importante que as instituições estejam atentas para identificar os clientes que possam ter dificuldade com acesso às novas tecnologias, e oferecer opções que sejam mais acessíveis para esses pacientes.

3. Pedido médico digitalizado

A espera do paciente, para realizar a coleta deve ser acolhedora, com uma priorização adequada. A fila vai determinar qual o próximo paciente a ser atendido, quais as informações do exame que ele precisa realizar etc. O pedido médico digitalizado evita que ocorram falhas no atendimento, pois permite que o colhedor verifique se os dados cadastrais foram registrados corretamente.

4. Leitura de código de barras para identificação do paciente e material coletado

Na etapa de coleta, os pacientes com acesso venoso comprometido devem ser identificados e submetidos a avaliação especializada. Após a avaliação, um profissional adequado será designado para este tipo de punção. A leitura do código de barras possibilita a identificação do paciente e do material coletado de forma segura. O crachá do Técnico de Enfermagem, responsável pela coleta, também pode ser checado.

Esse recurso é um diferencial para o atendimento humanizado com crianças. Quando falamos em coleta infantil, é preciso ter mais cuidado. Quem tem filhos sabe da complexidade que é prepará-los emocionalmente para puncionar uma coleta de sangue. E se a veia tem dificuldades de ser puncionada? E se necessita de nova coleta? Os profissionais são responsáveis por tornar a experiência do paciente menos traumática.

Saiba mais sobre os benefícios do interfaceamento com equipamentos laboratoriais.

5. Sinalização de urgência nos resultados

O material biológico do paciente deve ser devidamente identificado, eliminando as chances de falhas de identificação, que possam gerar um diagnóstico incorreto. Além disso, alguns pacientes precisam que o resultado de seus exames sejam priorizados, exigindo a sinalização de urgência que permite que todas as áreas envolvidas sejam informadas sobre a necessidade e o resultado seja entregue dentro do prazo.

6. Retirada de exames online

Proporcionar mais autonomia ao paciente também é uma característica do atendimento humanizado nos laboratórios. Acessar o resultado dos exames online e poder imprimir para levar ao médico proporciona maior comodidade e evita que o paciente perca tempo ou prejudique a sua rotina apenas para comparecer até o laboratório. 

7. Registro de informações integradas

O atendimento humanizado não termina após a coleta dos exames com a saída do paciente, é necessário que exista uma interação entre o Médico Solicitante e o Responsável Técnico, principalmente para tratativas de possíveis notificações em caso de resultados alterados. Assim, é possível manter uma relação entre médico, paciente e Laboratório.

Para isso, a integração das informações é fundamental. Os laboratórios que utilizam os mesmos sistemas de gestão, podem fazer a integração dos dados. Dessa forma, o médico solicitante e o responsável técnico terão acesso aos resultados dos exames. Um recurso que automatiza o processo e torna a administração dos laboratórios mais eficiente, sem prejudicar a humanização. 

Resumindo, a humanização se refere a todo o cuidado com a experiência do paciente levando em consideração as boas práticas para proporcionar a qualidade do atendimento e a segurança dos resultados. A Pixeon, mais do que um software, procura criar soluções para que a jornada do paciente seja a melhor possível. Veja como podemos ajudar na humanização do seu laboratório.

COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Comentários

Veja também

Acompanhe as novidades sobre nossos produtos e novas parcerias

Acompanhe a Pixeon. Leia mais notícias