COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Paciente digital: como se adaptar e alcançar esse público?

Por Pixeon e Boa Consulta em 25 de novembro de 2021

Paciente digital: como se adaptar e alcançar esse público?

As novas tecnologias na área da saúde estão trazendo diversas mudanças e permitindo um melhor atendimento ao chamado paciente digital, que é bem informado e busca resolver o máximo de suas demandas por meio do smartphone.

Hoje, os profissionais do setor podem contar com softwares que organizam o dia a dia da clínica e proporcionam mais facilidade para esse perfil de paciente, com possibilidades como agendamento on-line, prontuário eletrônico e teleconsulta.

A sistematização da informação e o uso da nuvem para facilitar o acesso dos dados em qualquer momento e local são exemplos de inovações seguras que simplificaram o cotidiano das instituições de saúde.

Os recursos tecnológicos permitem que as informações cheguem mais rápido aos usuários. Os pacientes já têm a possibilidade de, por exemplo, acessar os resultados dos seus exames e os encaminhar para o seu médico por meio de uma plataforma ágil e segura.

Como se vê, são muitas transformações acontecendo de maneira muito rápida. E, para acompanhar, as instituições de saúde precisam se atualizar frequentemente, não apenas para oferecer um atendimento adequado ao que o paciente digital espera, mas também porque modernizar processos traz mais facilidade para as rotinas internas da clínica.

Neste artigo, trouxemos informações importantes para a sua clínica se adaptar e oferecer uma boa experiência ao paciente digital. Confira!

 

Que cuidados é preciso ter no atendimento ao paciente digital?

Quando falamos em paciente digital e no armazenamento de dados pessoais, a segurança digital é uma observação necessária. Muitos profissionais ficam em dúvida sobre utilizar plataformas digitais por não terem confiança. Mas existem normas internacionais e técnicas eficientes que possibilitam aos usuários dos sistemas a garantia do sigilo dos dados.

Assim, ao escolher um software para a sua clínica, é preciso ter clareza a respeito das necessidades que a instituição tem, saber qual será o uso do sistema e a melhor forma de o fornecedor garantir a proteção dos dados do paciente digital.

Sem dúvidas, investir em tecnologia na saúde traz credibilidade e tranquilidade profissional, habilitando as clínicas a atrair os pacientes digitais e mostrar que estão preparadas para oferecer uma experiência satisfatória. O uso dos sistemas aproxima o profissional do paciente, ampliando os meios de comunicação e facilitando o relacionamento.

 

Como a tecnologia tem sido usada para atender ao paciente digital?

Diversas tecnologias estão à disposição dos profissionais de saúde, desde as mais simples até as mais sofisticadas, com o objetivo de oferecer o máximo de agilidade e eficiência que o paciente digital espera.

A seguir, listamos alguns recursos tecnológicos que vêm sendo usados para facilitar o atendimento ao paciente digital:

paciente digital, Paciente digital: como se adaptar e alcançar esse público?

Agendamento on-line

O agendamento on-line de consultas é um recurso bastante eficiente e possibilita bons resultados em produtividade. O paciente digital pode marcar a sua consulta a qualquer momento, sem depender de um atendente e tendo acesso a várias opções de horário para escolher aquela que for mais conveniente.

O recurso organiza não só a agenda da clínica, mas também registra o número de pacientes atendidos, entre outras informações que possibilitam um controle maior para o equilíbrio financeiro da instituição. Além disso, contribui para reduzir o tempo ocioso dos profissionais, otimizando o processo de trabalho.

Como aumenta a cada dia o número de pessoas com esse perfil de paciente digital, os consultórios precisam estar alinhados a essa tendência, oferecendo a possibilidade de marcarem suas consultas de forma mais cômoda.

 

Confirmação de consultas

Um bom sistema para clínicas também utiliza ferramentas de confirmação de consultas, seja por e-mail, WhatsApp ou SMS, mantendo um contato mais próximo com o paciente digital.

Isso contribui para a satisfação do paciente, que tem a facilidade de ser lembrado sobre o seu agendamento e também para a organização da clínica, evitando faltas, que são tão prejudiciais para as finanças da instituição.

paciente digital, Paciente digital: como se adaptar e alcançar esse público?

Prontuário eletrônico

O prontuário eletrônico é outro recurso importante para atendimento ao paciente digital. Ele dispõe de toda a história do paciente, reduzindo a perda de dados clínicos e possibilitando melhor gestão do tempo, já que é muito mais prático ter acesso a esses dados de forma digital.

Os profissionais podem fazer buscas rápidas de informações até mesmo de outros pacientes com o mesmo quadro clínico para um diagnóstico mais preciso, o que contribui para um melhor atendimento ao paciente de maneira geral.

 

Resultados de exames on-line

Outra ferramenta que já citamos aqui é a possibilidade de acessar os resultados dos exames e seus laudos pela internet. Poder encaminhar virtualmente o resultado de exames ao paciente digital torna o processo mais prático, elimina os gastos com papel e garante uma imagem inovadora para a instituição.

Além disso, é evitado o desgaste de ir até a instituição para buscar esses resultados, reduzindo e otimizando a jornada do paciente digital.

 

Teleconsulta

A teleconsulta está ganhando espaço no setor, impulsionada pelo comportamento do paciente digital, cada dia mais conectado e exigente. Mas o crescimento desse perfil tem sido um desafio para os profissionais de saúde, que precisam se adaptar a essa nova realidade. Afinal, ele busca ser atendido com agilidade, de qualquer lugar onde esteja e de forma humanizada e inovadora.

No início da pandemia, as instituições de saúde sequer possuíam as plataformas adequadas para o atendimento a esse paciente digital. Muitas recorreram a soluções de comunicação voltadas para reuniões e aplicativos de mensagens, que não são próprias para a finalidade de uma consulta médica, não oferecendo as funcionalidades necessárias para teleconsulta e prontuário eletrônico.

Percebendo a dificuldade de realizar consultas a distância por meio dessas soluções, estão sendo desenvolvidas diversas ferramentas como a Teleconsulta da Pixeon, que possui um formato adequado, integrado ao prontuário eletrônico, com possibilidade de gravação da consulta e outros recursos para auxiliar os profissionais.

 

Como a pandemia contribuiu para mudanças na jornada do paciente digital

De acordo com pesquisa da G2 Learning Hub, os serviços remotos vêm apresentando grande crescimento devido às recomendações de isolamento social para conter o Covid-19. A telemedicina cresceu 372%, assim como diferentes gêneros online, como audioconferências, videoconferências, webinars, salas de aula virtual, suporte remoto e cursos.

No isolamento, as pessoas começaram a experimentar esses serviços remotos, levando a um crescimento de 34% das consultas on-line, de acordo com pesquisa da Bain & Company. Dado que também se confirma na pesquisa realizada pela BoaConsulta: 65% dos profissionais de saúde praticam telemedicina, realizando consultas por videochamada.

O potencial de aceitação da teleconsulta é de 25% e a tendência é que aumente ainda mais, considerando o alto volume de especialidades que são passíveis de teleconsulta, como clínica geral, psicologia, medicina familiar, dermatologia, cardiologia, pediatria, nefrologia, entre outras.

No entanto, segundo o BoaConsulta, muitos profissionais ainda usam plataformas não apropriadas para consultas médicas, como:

  • WhatsApp: 45%
  • Skype: 13%
  • Zoom: 22%
  • Google Hangouts: 8%

Para um primeiro momento da pandemia, era compreensível que se usasse os canais disponíveis. Mas com o lançamento de plataformas específicas para teleconsultas e um melhor atendimento ao paciente digital, é preciso adotá-las.

Apenas com ferramentas digitais adequadas é possível ter acesso ao histórico do paciente digital e ao prontuário eletrônico, além do registro da consulta e de fotos do paciente, garantindo a segurança dessas informações e a unificação do canal, para que sejam acessadas com facilidade.

A expectativa é de que a teleconsulta persista muito além da pandemia, desde que usada adequadamente, dispondo de plataformas que garantam segurança e organização de dados para atender às necessidades médicas e satisfazer o paciente digital.

Saiba mais sobre a aplicação da teleconsulta na medicina e como essa tecnologia pode ser muito útil para tornar a sua rotina mais eficiente.

Paciente digital: como se adaptar e alcançar esse público?

COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Comentários