COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Eficiência e qualidade laboratorial: como aperfeiçoar processos e o atendimento

Por Equipe Pixeon em 13 de maio de 2021

A eficiência e a qualidade laboratorial são objetivos que toda instituição deve buscar para se manter no mercado. Nesse sentido, buscar soluções inovadoras que oferecem um melhor atendimento ao paciente e otimizam os processos internos é essencial para as unidades laboratoriais. 

No entanto, diversos laboratórios ainda deixam muito a desejar em diversos aspectos básicos. Observamos instituições que realizam vários processos manualmente, o que aumenta consideravelmente os riscos de troca de exames, perda de dados, sem contar o desperdício de tempo da equipe.

qualidade laboratorial

Esse, inclusive, é um ponto muito importante e que os laboratórios precisam observar: será que os colaboradores estão sendo tão produtivos quanto poderiam? Muitas vezes, a instituição conta com um time enorme para fazer atividades que um sistema automatizado faria sozinho e em muito menos tempo. Em vez de realizar tarefas manuais, os colaboradores poderiam realizar atividades mais estratégicas. 

Nós conhecemos a realidade do mercado e sabemos que muitos laboratórios ainda não avançaram tanto na transformação digital. Mas sabemos também que não digitalizar os processos pode levar a grandes prejuízos, mais cedo ou mais tarde. E leia-se prejuízo como até mesmo fechamento da unidade em casos mais extremos.

Por isso, decidimos produzir este conteúdo com algumas dicas para a sua instituição alcançar a qualidade laboratorial, considerando toda a nossa experiência na Pixeon. Entenda quais são as melhores práticas para laboratórios e identifique o que pode ser otimizado na sua instituição. Confira!

3 aspectos para você observar e descobrir o grau de qualidade laboratorial na sua instituição

1. Soluções para reduzir o tempo de espera do paciente

O seu laboratório conta com soluções que tem o objetivo de minimizar o tempo de espera do paciente? Quão eficiente é o atendimento, tornando a experiência do usuário um momento de bem-estar e conforto? 

Nesse sentido, se o seu laboratório possui um gerador de senhas e um painel de chamada na recepção para controlar a ordem dos pacientes, ótimo. A fila de espera fica organizada e considera os atendimentos prioritários. Mas não pense que isso é o suficiente. Na verdade, esse tipo de recurso é básico, sendo que o que o paciente espera é um atendimento realmente diferenciado.

Um serviço que pode agregar valor ao laboratório é oferecer a coleta domiciliar, que proporciona muito mais conforto ao paciente, não precisando se deslocar para realizar seu exame.

Disponibilizar um aplicativo para o agendamento de exames que não exigem jejum e de exames mais complexos é um diferencial que garante um atendimento mais eficiente no laboratório, evitando as longas esperas na recepção.

E não poderíamos deixar de citar a implementação de um totem que oriente os pacientes e permita contabilizar o tempo de espera para posteriores ações de melhorias. Contar com uma ferramenta de Business Intelligence (BI) é fundamental para extrair dados que realmente sejam relevantes para a tomada de decisões mais assertivas.

2. Faturamento dos exames


Uma das atividades que mais contribuem para a eficiência do laboratório é o faturamento dos exames, sejam eles particulares ou pelo convênio do paciente. De que maneira esse processo é realizado na sua instituição?

É importante utilizar soluções de gestão que facilitem esse processo. Isso porque eles possibilitam, por exemplo, gerar um relatório TISS padrão com as requisições de cada pedido de procedimento e enviar para o convênio, atividade importante para evitar glosas.

3. Processo de triagem das amostras

No processo de triagem de amostras, o controle de qualidade laboratorial pode ficar comprometida se as informações forem registradas de forma manual. Essa prática torna o processo suscetível a registros incorretos, podendo causar até mesmo análises equivocadas e, consequentemente, laudos com resultados falsos.

Dessa forma, o acesso e a localização de dados fica mais difícil, prejudicando a comunicação entre os diversos profissionais do laboratório.

Nesse caso, não basta somente um sistema para a leitura de códigos de barras. É necessário ter uma solução que automatize a gestão de maneira geral, evitando atrasos, insatisfação dos pacientes, bem como erros de maiores proporções.

Outras perguntas a se fazer para identificar a sua eficiência e qualidade laboratorial

  • Como é feito o envio de amostras para laboratório de apoio?
  • Há integração para rastreabilidade de amostras?
  • O processo de faturamento é feito de maneira manual ou automatizada?
  • E o controle de glosas é manual ou automatizado?
  • O armazenamento de dados do laboratório é feito no servidor local ou na nuvem?

Quer saber qual é o nível de eficiência do seu laboratório na prática? Desenvolvemos um quiz com perguntas práticas para você realizar um diagnóstico rápido e fácil da sua instituição. Responda e descubra agora mesmo! 

COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Comentários