COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Inovação em saúde: hospital 4.0, IA, e outras tendências

Por Pixeon em 4 de dezembro de 2019
inovação em saúde

A inovação em saúde está evoluindo em diferentes aspectos. A relação com a tecnologia tem proporcionado resultados substanciais no desenvolvimento de soluções avançadas para que a identificação de doenças seja feita de forma ainda mais rápida, assim como a cura para diferentes males. 

Entretanto, esses são os objetivos finais do processo. Antes disso, outros procedimentos também estão tendo ganhos com a inovação. A Semana de Inovação em Saúde, promovida pela Pixeon,  reuniu especialistas da área para discutir o assunto e apresentar as principais novidades do mercado. Veja um resumo dos principais temas neste artigo.

Semana da Inovação em Saúde na Pixeon: confira o que foi destaque durante o evento

Hospital 4.0

Hospital 4.0 foi o tema do webinar com Gustavo Araújo, co-fundador da Distrito, empresa focada no desenvolvimento de soluções inovadoras para outros negócios. O executivo define hospital 4.0 como a transformação na maneira com que a saúde é entregue e isso envolve todo o ecossistema. Desde o primeiro contato do paciente com o agendamento de consultas até o controle de estoque na farmácia.

A conectividade é um fator fundamental nesse processo, pois permite gerar dados sobre o que está acontecendo, rupturas de estoque, gestão de filas, leitos vazios etc. A tecnologia faz a leitura desses dados para entregar índices sobre cada atividade. Isso permite que a instituição tenha informação sobre o que está acontecendo e use a tecnologia para solucionar e tomar decisões mais acertadas.

Um dos principais benefícios percebidos com o uso de tecnologias é o baixo custo que os recursos proporcionam. Um exemplo trazido por Araújo foi o pronto-atendimento em hospitais. Em muitos casos, os atendimentos poderiam ser resolvidos apenas com a indicação do medicamento correto. Sem que houvesse a necessidade do paciente ir até o hospital. Por meio da telemedicina, é possível reduzir o volume de atendimentos como esse. 

O recurso permite uma chamada de vídeo entre paciente e profissional. Assim, seu problema pode ser identificado e direcionado ao atendimento mais adequado, evitando que o paciente recorra ao hospital de forma desnecessária. Ou até mesmo após um atendimento médico. 

Quando não há risco de complicação, o paciente pode ser liberado para o monitoramento remoto. Os profissionais acompanham o paciente por meio de  wearables, que registram batimentos cardíacos, níveis de pressão arterial etc. O paciente se sentirá mais confortável, pois estará em casa e o hospital vai liberar um de seus leitos para atender casos mais extremos. 


Outros exemplos também foram apresentados no webinar e você pode conferir o conteúdo na íntegra, clicando neste link.

Como as plataformas de apoio à decisão clínica contribuem com a cultura de inovação?

Nesse webinar, Cláudia Toledo, da Elsevier, falou sobre como essas plataformas têm ajudado profissionais da saúde e pacientes a terem acesso à informação pertinente e baseada em evidências. 

O apoio à decisão clínica é um processo baseado em inovação que tem como objetivo melhorar as decisões e ações, com conhecimento clínico organizado (baseado em evidências) e informações pertinentes sobre o paciente para melhorar a saúde e a prestação de cuidados de saúde. Isso é feito por meio de base de dados com informações, que vão desde sintomas de doenças até orientação sobre atuação médica. A Elsevier desenvolve essas plataformas e entrega todo conteúdo baseado em evidências, que podem ser usadas por médicos e profissionais de saúde. 

As soluções de apoio à decisão clínica baseadas em evidências, são criadas, atualizadas e entregues para o uso dos profissionais de saúde e pacientes. 

Ferramentas como Prontuário Eletrônico do Paciente melhoram a tomada de decisão, pois apresentam dados em tempo real. Com isso, o tempo de espera para aplicar uma medicação, por exemplo, é reduzido.

Saiba mais sobre outras plataformas de apoio à decisão clínica que podem contribuir com a sua instituição,  no webinar completo

Inteligência Artificial na Saúde 4.0

A indústria 4.0 chegou à saúde? Com essa provocação, Armando Buchina, CEO Pixeon, iniciou o webinar sobre Inteligência Artificial (IA). Buchina convidou a todos para pensar sobre os caminhos da inovação no setor e como as novas tecnologias estão sendo recebidas, tanto na área médica, quanto pelos pacientes. 

O webinar também contou com a participação de Richerland Medeiros, CDO da Pixeon, que mostrou quais são as soluções de IA que já estão em uso no mercado. A Inteligência Artificial já pode ser vista como assistente de cirurgia, organizando os workflows de trabalho, pré-diagnóstico, entre outras formas que têm proporcionado redução de custos, redução de erros e melhorias na recuperação do paciente. 

A IA também permite que as instituições de saúde reduzam gargalos de atendimento, realizando pré-atendimento por meio de assistentes virtuais. Esse é o exemplo da PICS, plataforma da Pixeon que, entre outros recursos, permite o atendimento prévio ao paciente. O assistente virtual automatiza o atendimento, coletando informações sobre tipo de serviço desejado, local, solicitando envio de documentos comprobatórios etc.

Além disso, o paciente pode enviar mensagem por voz ou texto e a IA reconhece, inclusive sugere diagnósticos a partir dos sintomas apresentados pelo paciente, conforme a probabilidade e indica protocolos médicos para apoiar os profissionais.

Não há discussão quanto aos benefícios que as novas  tecnologias proporcionam para a saúde. Isso pode ser percebido pela quantidade de instituições nacionais e internacionais que têm adotado a inovação como peça fundamental para o desenvolvimento.

Assista aos webinars da Semana de Inovação em Saúde da Pixeon e entenda melhor como esse fator é fundamental para o crescimento das instituições de saúde.

COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Comentários