COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Mudanças e oportunidades na saúde pós-pandemia

Por Equipe Pixeon em 15 de junho de 2021
saude-pos-pandemia

Os avanços globais na imunização contra a Covid-19, prenuncia que o fim da pandemia pode estar próximo. Ao longo dos últimos meses, vivemos muitas mudanças, principalmente nos hábitos de higienização e contato com as pessoas. Mas é no setor da saúde que estão as mais significativas transformações. A saúde pós-pandemia será bem diferente da que tínhamos até então.

Nos últimos anos, a tecnologia vinha ganhando espaço timidamente no setor. Um exemplo é a teleconsulta, que já era discutida há anos pelo Conselho Federal de Medicina. Mas foi durante a pandemia que o atendimento a distância foi regulamentado pelo governo federal por meio da Portaria Nº 467.

Assim como essa, muitas mudanças previstas a longo prazo para as instituições de saúde foram aceleradas com a pandemia e devem ser consolidadas nos próximos anos. Sem dúvidas, o futuro terá serviços de saúde significativamente diferentes daqueles que tínhamos antes do coronavírus.

Do atendimento digital ao uso da inteligência artificial, analisamos as principais mudanças e oportunidades na saúde provocadas pelo Covid-19 e que devem ser mantidas no cenário pós-pandemia. Continue a leitura para saber mais.

5 tendências para a saúde pós-pandemia

1. Atendimento digital

A saúde pós-pandemia vai experimentar recursos cada vez mais elaborados para garantir o bom atendimento aos pacientes a distância. Enquanto, antes da pandemia, apenas a telemedicina era liberada para um trabalho de médicos em conjunto, a teleconsulta hoje é uma realidade no Brasil. 

Muitas especialidades que não exigem o contato físico com o paciente podem, inclusive, ter quase que completamente as consultas migradas para o ambiente digital, como é o caso da psicologia e da psiquiatria.

Com a regulamentação da teleconsulta e o aumento da demanda por esse modelo de atendimento, ferramentas próprias foram desenvolvidas para garantir eficiência e a segurança necessária tanto para o paciente quanto para o médico.

Por meio de um sistema específico para teleconsulta, é possível fazer o agendamento, assegurar a elegibilidade do paciente, solicitar exames on-line, integrar o sistema com o prontuário eletrônico, prescrever medicamentos, entre outras possibilidades.

Espera-se que, com essas inovações, os pacientes mantenham o hábito de se consultarem on-line, o que é bastante benéfico para os profissionais de saúde. Afinal, é possível fazer mais atendimentos, sem o inconveniente do deslocamento, e expandir as áreas para atuação.

2. Maior cuidado com a experiência do paciente digital

Mais do que o atendimento digital em si, proporcionado pela teleconsulta, a saúde pós-pandemia com certeza terá um olhar mais atento para toda a jornada digital do paciente.

As instituições devem pensar cada vez mais na experiência on-line dos pacientes, buscando ferramentas e plataformas adequadas para realizar o atendimento com segurança e eficiência. Para isso, é essencial que hospitais e clínicas tenham desde um prontuário eletrônico, até um sistema específico de teleconsulta e entrega de exames, por exemplo.

O paciente digital espera praticidade e agilidade e é isso o que as instituições de saúde precisam se organizar para oferecer, acompanhando esse novo comportamento.

Um mercado que está se abrindo por causa da tecnologia é o de cuidados fora do hospital (home care conectado). Hoje é possível mandar o paciente para casa mais cedo, a partir de tecnologias que permitam ao médico visitar e monitorar esse paciente, bem como colher amostras e atualizar o prontuário eletrônico. Tudo isso graças às ferramentas de IoT, teleconsultas e outras tecnologias da saúde 5.0, que ampliam a conexão e ajudam a monitorar os pacientes a distância, com segurança e de modo humanizado.

3. Ampliação da área de atuação

Uma das oportunidades das quais a saúde pós-pandemia deve se beneficiar é o maior alcance de atuação para os profissionais. Com o atendimento virtual, é possível atender pacientes que estejam em qualquer lugar do mundo.
Dessa forma, até mesmo regiões sem acesso a determinadas especialidades de saúde são alcançadas. Uma mudança muito relevante para os médicos, que têm a chance de atuar em benefício de pacientes que não teriam condições de receber atenção à saúde de outra maneira.

4. Segurança de dados

Com o atendimento digital e o início da vigência da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), será essencial ampliar a segurança de dados, com sistemas adequados.

Lidar com dados sensíveis de pacientes no ambiente virtual exige um cuidado maior para o qual as instituições de saúde podem ainda não estar preparadas.

Com essas novas demandas causadas pela pandemia, foram desenvolvidos sistemas específicos para a área da saúde, que priorizam as necessidades do setor, principalmente no que diz respeito à proteção de dados, evitando perdas, roubos e vazamentos.

5. Uso da inteligência artificial

Com a pandemia, foram desenvolvidas e consolidadas várias soluções de inteligência artificial para saúde que otimizam desde o agendamento médico até a análise de exames

Plataformas, como a Pixeon Lumia, são capazes de interagir com o paciente utilizando linguagem natural, facilitando diversos processos e dispensando a intervenção de atendentes. Dessa forma, as atividades são otimizadas e a instituição ganha profissionais com atuação mais estratégica para outras tarefas.

Saiba mais sobre as inúmeras possibilidades proporcionadas pela tecnologia na saúde. Confira este conteúdo a seguir, produzido pela Pixeon em parceria com a Distrito:

Tendências em Saúde: soluções que estão transformando a área da saúde

Hospital 4.0
COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Comentários