Checklist: o que não pode faltar em um ERP para hospital
COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Checklist: o que não pode faltar em um ERP para hospital

Por Amanda Negreiro em 26 de janeiro de 2021

O ERP para hospital, que, de forma simplificada, é o uso de sistemas integrados para a gestão empresarial hospitalar, refere-se ao fluxo completo com todos os processos institucionais, refletindo na jornada do paciente desde a sua chegada à instituição. 

O paciente percorre um caminho desde a sua entrada e possui uma equipe multidisciplinar registrando e administrando suas informações em todas as etapas que ele percorre.

Da recepção à triagem; do consultório médico à administração de medicamentos; da internação ao bloco cirúrgico: a gestão do tempo de atendimento é fundamental para tomada de decisões estratégicas, com o Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) sendo o repositório de dados médicos usado por toda a equipe.

Enquanto a linha de frente atende ao paciente, o time de BackOffice do hospital atende à necessidade da instituição. Com os devidos registros e controles para questões contábeis, faturamento e suprimentos, a gestão financeira do negócio torna-se sustentável, uma vez que as informações são obtidas de forma integrada em todo o processo.

O ERP para hospital também é considerado uma importante ferramenta para implantação de estratégias corporativas e uma gestão cada vez mais eficiente. Para isso, 3 elementos precisam estar alinhados e presentes:

  • processos; 
  • tecnologia; 
  • pessoas. 

Isso significa que não adianta apenas implementar o ERP para hospital, sem estabelecer processos bem definidos. Além disso, os profissionais também devem ser capacitados para operar o sistema no dia a dia em suas tarefas, imputando as informações de maneira correta, permitindo visões gerenciais com indicadores e relatórios que reflitam, de fato, a realidade.

Confira a seguir alguns recursos que não podem faltar no ERP para hospital.

5 recursos essenciais no ERP para hospital

1. Automatização do atendimento e registro de pacientes

Um bom ERP para hospital precisa oferecer funcionalidades que facilitem os processos de atendimento ao paciente da instituição, como:

  • agendamento da consulta on-line pelo portal do hospital;
  • envio de SMS para o paciente confirmando a marcação do atendimento; 
  • organização da fila de espera e controle do fluxo de entrada;
  • cadastro e registro adequado de documentos;
  • identificação do convênio médico do paciente e das eventuais regras para o atendimento;
  • rastreabilidade de dados e procedimentos realizados.

Ademais, um aspecto essencial para o sistema de ERP é o controle de glosas. O ERP precisa oferecer recursos que bloqueiam o registro indevido de pacientes e de procedimentos não autorizados pelo convênio, otimizando o trabalho da recepção.

Também é importante que o sistema seja atualizado continuamente pelo fornecedor, uma vez que as regras de convênio mudam com bastante frequência.

2. Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) integrado

Um módulo também indispensável em um ERP para hospital é o Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP), tão importante para o trabalho do médico. Neste ponto, é preciso atentar-se para prontuários devidamente certificados pelas autoridades competentes. Uma das opiniões técnicas qualificadas e imparciais neste quesito é a Certificação SBIS.  

Esse módulo é fundamental do ponto de vista da integração de todas as áreas do hospital, porque o médico tem a possibilidade de fazer os seus apontamentos, apurar melhor as informações e ter mais atenção à saúde com esse registro, apoiando a pesquisa, promovendo o ensino e organizando as rotinas de trabalho.

Além de eliminar papéis e eventuais problemas de perdas de documentos, o Prontuário Eletrônico apresenta uma série de vantagens para as instituições de saúde, como redução de custos, maior produtividade e controle para gestão.

Confira 10 vantagens do uso do Prontuário Eletrônico – PEP

3. Controle de estoque, medicamentos e outros materiais

O terceiro item do nosso checklist de módulos que não podem faltar em um ERP para hospital é a gestão do estoque da farmácia, além de órteses,  próteses e materiais especiais.

O sistema deve ser capaz de gerenciar a dispensação de medicamentos, que precisa estar devidamente registrada. Afinal, se o índice de desperdício não for controlado, o número de perdas é muito alto.

Também é necessário controlar a administração dos medicamentos fracionados, gerindo de que forma essa sobra será usada.

4. Capacidade de infraestrutura e opção em cloud

Outro ponto que não pode faltar nesse checklist é a capacidade e a necessidade de infraestrutura do ERP, assim como o investimento para adquiri-la e mantê-la. Uma opção que vem ganhando espaço e precisa ser avaliada em conjunto com os fornecedores é a infraestrutura em cloud.

Além disso, o tráfego dessas informações deve ser seguro, atendendo às normas de segurança da informação exigidas pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

5. Potencial de inovação

Por fim, o sistema escolhido deve apoiar e acompanhar o crescimento da instituição, fornecendo recursos que potencializam a gestão, a inovação dos processos e o reconhecimento do mercado.

Para isso, é essencial que o fornecedor escolhido seja inovador e ofereça também outros serviços essenciais que possam ser integrados à gestão e ao atendimento hospitalar, como sistemas de inteligência artificial, teleconsultas, IoT, Business Intelligence e outros.

Dessa forma, o ERP para hospital ideal é apenas o primeiro passo rumo à gestão 4.0, em que a tecnologia passa a ser primordial para os desafios de liderança em saúde e às demais transformações do mercado.

Leia também: IA na saúde: como a Lumia está transformando os atendimentos na SPX

E aí, já sabe se o que não pode faltar em um ERP para hospital? Complete o checklist a seguir e verifique se o seu sistema contempla as principais necessidades da sua organização:

1.Automatização do atendimento e registro de pacientes
2.Prontuário Eletrônico do Paciente integrado
3.Controle de estoque, medicamentos e outros materiais
4.Capacidade de infraestrutura e opção em cloud
5.Potencial de inovação

Para saber mais sobre as vantagens de usar uma solução de gerenciamento para hospitais, confira este conteúdo:

Gestão clínica: como organizar os processos em todos os setores

Sobre o autor

Amanda é Executiva de Contas na Pixeon. Enfermeira de formação, atua há mais de 8 anos na área de saúde com foco em tecnologia e inovação. É uma verdadeira entusiasta pela gestão, bons resultados e melhorias contínuas. Já percorreu caminhos internacionais e em 2021 concluirá seu MBA de Gestão Empresarial. Como ela costuma dizer: tem um universo para descobrir, um mundo para viajar e como mãe, uma criança que está educando para voar.

COMPARTILHE
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

Comentários